///Toque Delicado///

home /// archives

segunda-feira, julho 21, 2003



Pai, afasta de mim esse cálice
Pai, afasta de mim esse cálice
Pai, afasta de mim esse cálice
De vinho tinto de sangue

Como beber dessa bebida amarga
Tragar a dor, engolir a labuta
Mesmo calada a boca, resta o peito
Silêncio na cidade não se escuta
De que me vale ser filho da santa
Melhor seria ser filho da outra
Outra realidade menos morta
Tanta mentira, tanta força bruta

Como é difícil acordar calado
Se na calada da noite eu me dano
Quero lançar um grito desumano
Que é uma maneira de ser escutado
Esse silêncio todo me atordoa
Atordoado eu permaneço atento
Na arquibancada pra a qualquer momento
Ver emergir o monstro da lagoa

De muito gorda a porca já não anda
De muito usada a faca já não corta
Como é difícil, pai, abrir a porta
Essa palavra presa na garganta
Esse pileque homérico no mundo
De que adianta ter boa vontade
Mesmo calado o peito, resta a cuca
Dos bêbados do centro da cidade

Talvez o mundo não seja pequeno
Nem seja a vida um fato consumado
Quero inventar o meu próprio pecado
Quero morrer do meu próprio veneno
Quero perder de vez tua cabeça
Minha cabeça perder teu juízo
Quero cheirar fumaça de óleo diesel
Me embriagar até que alguém me esqueça

(Cálice - Chico Buarque)

toquedelicado 3:22:00 AM

Fala ai



Quando eu fui ferido, vi tudo mudar
das verdades que eu sabia
só sobraram restos, e eu não esqueci
toda aquela paz que eu tinha
Eu que tinha tudo, hoje estou mudo
estou mudado
À meia-noite, à meia-luz pensando
Daria tudo por um modo de esquecer
Eu queria tanto estar no escuro do meu quarto,
à meia-noite, à meia-luz sonhando,
Daria tudo por meu mundo e nada mais.

Não estou bem certo
se ainda vou sorrir
sem um travo de amargura
Como ser mais livre,
como ser capaz
de enxergar um novo dia.

(Meu Mundo e Nada Mais - Guilherme Arantes)


toquedelicado 3:13:00 AM

Fala ai


OS OMBROS SUPORTAM O MUNDO


Chega um tempo em que não se diz mais: meu deus.
Tempo de absoluta deturpação.
Tempo em que não se diz mais: meu amor.
Porque o amor resultou inútil.
E os olhos não choram.
E as mãos tecem apenas o rude trabalho.
E o coração está seco.


Em vão mulheres batem à porta, não abrirás.
Ficaste sozinho , a luz apagou-se,
mas na sombra teus olhos resplandecem enormes.
És todo certeza, já não sabes sofrer.
E nada esperas de teus amigos.


Pouco importa venha a velhice, que é a velhice ?
Teus ombros suportam o mundo
e ele não pesa mais que a mão de uma criança.
As guerras, as fomes, as discussões dentro dos edifícios
provam apenas que a vida prossegue,
e nem todos se libertaram ainda.
Alguns, achando bárbaro o espetáculo,
prefeririam ( os delicados ) morrer.
Chegou um tempo em que não adianta morrer.
Chegou um tempo em que a vida é uma ordem.
A vida apenas, sem mistificação.

Carlos Drummond de Andrade.Sentimento do Mundo In Poesia Completa.


toquedelicado 3:01:00 AM

Fala ai

sexta-feira, julho 18, 2003

Até tu Chico?.......


Tinha cá prá mim que agora sim
Eu vivia enfim o grande amor,
(Mentira...)
Me atirei assim de trampolim
Fui até o fim, um amador, ôôôô

Passava um verão a água e pão
Dava o meu quinhão pro grande amor,
(Mentira...)
Eu botava a mão no fogo então
Com meu coração de fiador, ôôôô

Hoje eu tenho apenas uma pedra no meu peito
Exijo respeito, não sou mais um sonhador
Chego a mudar de calçada quando aparece uma flor
E dou risada do grande amor,
(Mentira...)

Fui muito fiel, comprei anel
Botei no papel o grande amor,
(Mentira...)
Reservei hotel, sarapatel
e lua de mel em Salvador, ôôôô

Fui rezar na Sé prá São José
Que eu levava fé no grande amor,
(Mentira...)
Fiz promessa até prá Oxumaré
De subir a pé o Redentor, ôôôô

Hoje eu tenho apenas uma pedra no meu peito
Exijo respeito, não sou mais um sonhador
Chego a mudar de calçada quando aparece uma flor
E dou risada do grande amor,
(Mentira...)

(Samba do Grande Amor - Chico Buarque)


Hoje você é quem manda
Falou, tá falado
Não tem discussão
A minha gente hoje anda
Falando de lado
E olhando pro chão, viu
Você que inventou de inventar
Toda a escuridão
Você que inventou o pecado
Esqueceu-se de inventar
O perdão

Apesar de você
Amanhã há de ser
Outro dia
Eu pergunto a você
Onde vai se esconder
Da enorme euforia
Como vai proibir
Quando o galo insistir
Em cantar
Água nova brotando
E a gente se amando
Sem parar

Quando chegar o momento
Esse meu sofrimento
Vou cobrar com ljuros, juro
Todo esse amor reprimido
Esse grito contido
Este samba no escuro
Você que inventou a tristeza
Ora, tenha fineza
De desinventar
Você vai pagar e é dobrado
Cada lágrima rolada
Nesse meu penar

Apesar de você
Amanhã há de ser
Outro dia
Inda pago pra ver
O jardim florescer
Qual você não queria
Você vai se amargar
Vendo o dia raiar
Sem lhe pedir licença
E eu vou morrer de rir
Que esse dia há de vir
Antes do que você pensa

Apesar de você
Amanhã há de ser
Outro dia
Você vai ter que ver
A manhã renascer
E esbanjar poesia
Como vai se explicar
Vendo o céu clarear
De repente, impunemente
Como vai abafar
Nosso coro a cantar
Na sua frente

Apesar de você
Amanhã há de ser
Outro dia
Você vai se dar mal
Etc. e ta
l
( Apesar de você - Chico Buarque)

toquedelicado 4:33:00 AM

Fala ai

quinta-feira, julho 10, 2003


Por que ele não pode mais dar seu amor a ela?
lágrimas em seus olhos e a pomba chora
ela sabe que não será capaz de voar
para longe dele
ela verá rosas vermelhas na primavera
mas não será capaz de cantar
uma canção de amor

vou abrir meu coração
vou amá-lo para sempre
para sempre
farei parte de você
em tudo que faço
entre na minha vida

para que eu possa cantar
aí ela pergunta ao sol
pro quê? Por que eu?
o sol não responde,
ah, Deus Senhor pode me ajudar?
a resposta é simples "minha querida
você construiu sua própria cela
você sempre fez parte do céu
então por que ficou ao lado dele
e longe de mim?"

...
ela é uma pomba branca,
um anjo disfarçado
ela se apaixonou
por um homem
mas ele não retribui
seu amor
e este é seu pranto
e este é seu pranto
e este é seu pranto


(Moony - Dove (I`ll Be Loving You)

Toque Delicado 5:54:00 AM

Fala ai


Sigo palavras e busco estrelas
o que que o mundo fez pra voce ir assim
pra nao toca-la melhor nem ve-la
como é que você pode se perder de mim?
faz tanto frio, faz tanto tempo
que no meu mundo algo se perdeu
te mando beijos em altos tons pela avenida
vc sempre tao distraida passa e nao ve
e nao ve

fico acordado noites inteiras
os dias parecem não ter mais fim
e a esfinge da espera olhos de perto sem pena de mim

faz tanto frio faz tanto tempo
que no meu mundo algo se perdeu
te mando beijos em altos tons pela avenida
vc sempre tao distraida passa e nao ve
e nao ve ....

(Seguindo Estrelas - Paralamas)

Toque Delicado 5:46:00 AM

Fala ai

domingo, julho 06, 2003


E aqui estou eu sózinho com
O tempo. O tempo que você
Me pediu. Isso é orgulho do
Passado, um presente prá você

Uma delicada lembrança
Branca neve que nunca senti
Solidão me deixe forte
Talvez resolva meus problemas
Eu morreria por você
Na guerra ou na paz
Sem saber como sou capaz
Mudanças no meu comportamento
Distância louca de mim mesmo
Vontade de sentir o passado
Pesente prá você

(Mudança de comportamento - Ira)

Toque Delicado 1:16:00 AM

Fala ai


... E se eu chorar
e o sal molhar o meu sorriso
Não se espante, cante
que o teu canto é minha força
pra cantar

Quando eu soltar a minha voz
por favor, entenda
É apenas o meu jeito de dizer
o que é amar

(Sangrando - Gonzaguinha)

Toque Delicado 1:11:00 AM

Fala ai



Eu perco o chão,
Eu não acho as palavras.
Eu ando tão triste,
Eu ando pela sala.
Eu perco a hora,
Eu chego no fim.
Eu deixo a porta aberta.
Eu não moro mais em mim.
Eu perco as chaves de casa,
Eu perco o freio.
Estou em milhares de carros,
Eu estou ao meio.
Onde será que você está agora?

(Metade - Adriana Calcanhoto)


Toque Delicado 1:01:00 AM

Fala ai



Rasgue as minhas cartas e
não me procure mais,
Assim será melhor, meu bem.

O retrato que eu te dei,
se ainda tens não sei,
Mas se tiver devolva-me,
deixe-me sozinho,
porque assim eu viverei em paz,
Quero que sejas bem feliz
junto do seu novo rapaz.

O retrato que eu te dei,
se ainda tens não sei,
Mas se tiver devolva-me,
Devolva-me, devolva-me

(Devolva-me - Adriana Calcanhoto)

Toque Delicado 12:54:00 AM

Fala ai


.....Eu queria querer-te e amar o amor, construírmos dulcíssima prisão
E encontrar a mais justa adequação, tudo métrica e rima e nunca dor
Mas a vida é real e de viés, e vê só que cilada o amor me armou
E te quero e não queres como sou, não te quero e não queres como és

Ah, bruta flor do querer, ah, bruta flor, bruta flor...

...O quereres e o estares sempre a fim do que em mim é de mim tão desigual
Faz-me querer-te bem, querer-te mal, bem a ti, mal ao quereres assim
Infinitivamente pessoal, e eu querendo querer-te sem ter fim
E querendo te aprender o total do querer que há e do que não há em mim

(O quereres - Maricotinha)

Toque Delicado 12:47:00 AM

Fala ai


Não vou viver
como alguém que só espera um novo amor
há outras coisas no caminho onde eu vou
às vezes ando só
trocando passos com a solidão
momentos que são meus
e que não abro mão

já sei olhar o rio por onde a vida passa
sem me precipitar e nem perder a hora
escuto no silêncio que há em mim e basta
outro tempo começou para mim agora
vou deixar a rua me levar
ver a cidade se acender
a lua vai banhar esse lugar
e eu vou lembrar você

é, mas sei que ainda há muita coisa pra arrumar
promessas que me fiz e que ainda não cumpri
palavras me aguardam um tempo exato pra falar
coisas minhas, talvez você nem queira ouvir

(Pra rua me levar - Maricotinha)

Toque Delicado 12:42:00 AM

Fala ai


Meu coração ateu
Quase acreditou
Na tua mão
que não passou de um leve adeus

Breve pássaro
pousado em minha mão
Bateu asas e voou

Meu coração
por certo tempo passeou
Na madrugada,
procurando num jardim
Flor amarela,
flor de uma grande espera
Logo o meu coração ateu

Se falo em mim e não em ti
É que neste momento
Já me despedi
Meu coração ateu
não chora e nem lembra
Parte e vai-se embora...

(Coração ateu - Maricotinha)

Toque Delicado 12:37:00 AM

Fala ai


Juro que não vai doer
Se um dia eu roubar
O seu anel de brilhantes
Afinal de contas dei meu coração
E você pôs na estante

Como um troféu
No meio da bugiganga

Você me deixou de tanga
Ai de mim que sou romântica! ....
....
Quando eu me sinto um pouco rejeitada
Me dá um nó na garganta
Choro até secar a alma de toda mágoa
Depois eu passo pra outra
Como mutante
No fundo sempre sozinho
Seguindo o meu caminho
Ai de mim que sou romântica!


Kiss baby, kiss me baby, kiss me
Pena que você não me kiss
Não me suicidei por um triz
Ai de mim que sou assim!

(Mutante - Rita Lee)


Toque Delicado 12:31:00 AM

Fala ai


Hoje é o dia
Eu quase posso tocar o silêncio
A casa vazia
Só as coisas que você não quis
Me fazem companhia
Eu fico a vontade com a sua ausência
Eu já me acostumei a esquecer...

...Salas e quartos
Somem sem deixar vestígio
Seu rosto em pedaços
Misturado com o que não sobrou
Do que eu sentia
Eu lembro dos filmes que eu nunca vi
Passando sem parar em algum lugar

Tudo o que vai
Deixa o gosto
Deixam as fotos
Quanto tempo faz
Deixam os dedos
Deixa a memória

Eu nem me lembro mais

Fica o gosto
Ficam os fotos
Quanto tempo faz
Ficam os dedos
Fica a memória
Eu nem me lembro mais

Quanto tempo
Eu já nem sei mais o que é meu
Nem quando
Nem onde

(Tudo que vai - Capital Inicial)

Toque Delicado 12:24:00 AM

Fala ai


.....Ai quem me dera encontrar contigo agora
E esquecer as curvas desta estrada
Eu prefiro sonhar com os rios
E lavar minh'alma

Alguém sentado à beira do caminho
Jamais entendera o que é que eu sinto agora
Sou levado pelo movimento
Que tua falta faz

Havia tanta paz no teu carinho
Na despedida fez um dia lindo
Quem sabe tudo estara sorrindo
Quando eu voltar

(Retrovisor - Fagner)

Toque Delicado 12:16:00 AM

Fala ai

sábado, julho 05, 2003

Acho que vc estava certa amiga, mais fácil transformar do que destruir....
Afinal há tanto de mim aki...
Dizem que a música transforma tudo, e sua linguagem é universal...
Vou deixar que elas me traduzam, algumas vezes, a partir de hj,
Bjs, luz da minha noite....


Tem horas que bate uma tristeza tao grande
Eu nao sei o que fazer e nem pra onde ir
É tanta coisa que eu queria dizer,
Mas nao tem ninguém para ouvir
Entao choro sem ninguém ver... Eu choro

Faço o possível pra segurar a cabeça
Mas a emoção nao quer
Que eu me disfarça ou entao que eu esqueça
Do amor daquela mulher
Eu choro sem ela saber
Eu choro

Choro por tudo que a gente não teve
Por tudo que a gente realizou,
Choro porque sei que ainda te amo
E você me amou e ama
Choro por tudo se assim for preciso,
Choro porque sei que ainda te quero
Choro por tudo e por tudo lhe digo
Te quero, te espero, te quero... te amo
Eu choro

(Choro, Fábio Jr.)

Toque Delicado 11:59:00 PM

Fala ai

quarta-feira, maio 14, 2003


Toque Delicado 2:54:00 AM

Fala ai

domingo, maio 11, 2003

eu queria simplesmente...

... ter uma casinha branca de varanda,
um quintal e uma janela
para ver o sol nascer...

Toque Delicado 1:09:00 AM

Fala ai


Amor, paixões, sonhos, frustrações, certezas, amizades, dúvidas, felicidades, carinhos, delicadezas, compreensão, tristezas, beijos, docuras, abraços, amarguras, gentilezas, sorrisos, paranóias, delírios, realizações, medos, loucuras, desejos, decepções, alegria, esperanças, amores, sonhos e sonhos amorosos...
Uma vida, vários caminhos; um coração, muitos sentimentos; uma escolha, várias possibilidades, muitas dúvidas, nenhuma certeza. Não pense, faça. Não duvide, acredite. Não pergunte, arrisque. Não entenda, sinta. Quando você crescer fará escolhas. Escolha a vida, não deixe-a passar em branco. Jogue os dados.

Toque Delicado 1:00:00 AM

Fala ai


///This page is powered by Blogger. Isn't yours?///